segunda-feira, 21 de março de 2016

Dia Mundial da Poesia!


Os nossos poemas!!!























quinta-feira, 17 de março de 2016

A história da Páscoa....







História da PáscoaOrigens do termo, Páscoa entre os judeus e cristãos, a história do coelhinho da páscoa e os ovos de chocolate, significados, importância, formas de comemoração e celebrações, rituais e símbolos

As origens do termo

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes entre as culturas ocidentais. A origem desta comemoração remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem uma origem religiosa que vem do latim Pascae. Na Grécia Antiga, este termo também é encontrado como Paska. Porém sua origem mais remota é entre os hebreus, onde aparece o termo Pesach, cujo significado é passagem.

Entre as civilizações antigas

Historiadores encontraram informações que levam a concluir que uma festa de passagem era comemorada entre povos europeus há milhares de anos atrás. Principalmente na região do Mediterrâneo, algumas sociedades, entre elas a grega, festejavam a passagem do inverno para a primavera, durante o mês de março. Geralmente, esta festa era realizada na primeira lua cheia da época das flores. Entre os povos da antiguidade, o fim do inverno e o começo da primavera era de extrema importância, pois estava ligado a maiores chances de sobrevivência em função do rigoroso inverno que castigava a Europa, dificultando a produção de alimentos.
A Páscoa Judaica
Entre os judeus, esta data assume um significado muito importante, pois marca o êxodo deste povo do Egito, por volta de 1250 a.C, onde foram aprisionados pelos faraós durantes vários anos. Esta história encontra-se no Velho Testamento da Bíblia, no livro Êxodo. A Páscoa Judaica também está relacionada com a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, onde liderados por Moises, fugiram do Egito.
Nesta data, os judeus fazem e comem o matzá (pão sem fermento) para lembrar a rápida fuga do Egito, quando não sobrou tempo para fermentar o pão.

A Páscoa entre os cristãos
Entre os primeiros cristãos, esta data celebrava a ressurreição de Jesus Cristo (quando, após a morte, sua alma voltou a se unir ao seu corpo). O festejo era realizado no domingo seguinte a lua cheia posterior al equinócio da Primavera (21 de março).
Entre os cristãos, a semana anterior à Páscoa é considerada como Semana Santa. Esta semana tem início no Domingo de Ramos que marca a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém. 

A História do coelhinho da Páscoa e os ovos


A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho se reproduz rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinônimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Egito Antigo, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.
Mas o que a reprodução tem a ver com os significados religiosos da Páscoa? Tanto no significado judeu quanto no cristão, esta data relaciona-se com a esperança de uma vida nova. Já os ovos de Páscoa (de chocolate, enfeites, jóias), também estão neste contexto da fertilidade e da vida.


A figura do coelho da Páscoa foi trazido para a América pelos imigrantes alemães, entre o final do século XVII e início do XVIII.



quinta-feira, 3 de março de 2016

terça-feira, 1 de março de 2016

3ª Sessão Educar com Cinema...do notável realizador japonês Hayao Miyazaki, através do seu filme Ponyo à beira mar...










          Sexta-feira, dia 26 de fevereiro, a Escola recebeu a “visita” , maravilhosa obra de animação de características românticas e fantásticas, inspirada no célebre conto “A pequena sereia” de Hans Christian Andersen. A narrativa de Ponyo surpreendeu os presentes (muitos miúdos e também graúdos) pelo seu universo cheio de cores e magia, que mistura com extraordinária imaginação e criatividade universos tão distintos como o real e o imaginário.

         O filme contempla várias referências a lendas orientais e explora alguns dos sentimentos mais profundos do ser humano, como o amor, a amizade, a beleza, a pureza, a inocência e a bondade. Faz também uma crítica à poluição dos mares e à caça abusiva, portanto, aos excessos do Homem e às suas destrutivas consequências para com a Natureza.

        Foi mais uma sessão de Educar com Cinema, que já vai na sua 3ª edição, e cuja temática desta vez foi “A Amizade”. Esta sessão contou com a presença especial da Presidente da Associação de Pais, Glória Cabreiro, que, juntamente com diretor do Cineclube de Joane, Vítor Ribeiro, promoveram uma reflexão em torno das questões levantadas pelo filme, que contou com a adesão e contributos do público. O género de animação, que tantas vezes se confunde e se pensa ser unicamente dirigido ao público infantil, teve aqui o seu revés, pois os adultos pareceram ter ficado rendidos a esta forma de fazer animação. Escusado será dizer que as crianças saíram maravilhadas.

      A noite terminou com a leitura, pela voz da convidada Glória Cabreiro, de um excerto do livro “O Principezinho”, de Antoine de Saint-Exupéry, que salientou a importância da amizade e da necessidade de nos cativarmos uns aos outros. Às palavras e reflexões, juntaram-se as bebidas quentes e os doces, que tornaram este final de dia, frio e chuvoso, num momento que se nos apeteceu prolongar…

        Educar com Cinema regressa no início do terceiro período. Esteja atento à programação!